O SETOR EM NOTÍCIAS - Notícias HOME 
Arquivo

16.03.2010
Livros e brincadeiras ajudam na recuperação de crianças
 

As Salas de Leitura Primeira Infância instaladas em alguns hospitais atendem centenas de crianças por mês. Parte do projeto Ler é Saber do Instituto Brasil Leitor (IBL), organização voltada para a criação e gestão de projetos de estímulo à leitura e à educação, estas salas oferecem um acervo de 720 itens como livros, brinquedos educativos, mobiliário e aparelhos eletroeletrônicos.

O espaço lúdico promove a interação entre as crianças através da leitura, oficinas, jogos, teatro e música, e contribui para a humanização do atendimento hospitalar, sendo um fator muito significativo na recuperação do paciente infantil. “Estamos modificando o cotidiano das crianças internadas nestas instituições. As brincadeiras e a leitura promovem não só a continuidade do desenvolvimento infantil, como também a possibilidade de, através dele, a criança hospitalizada se recuperar mais rápida e tranquilamente,” declara Ivani Nacked, diretora e coordenadora das bibliotecas da Primeira Infância.

Foi em parceria com o IBL e a iniciativa privada que a Santa Casa de Misericórdia de São Joaquim da Barra (SP) inaugurou a Sala de Leitura José Olyntho Fortes Junqueira, em 17 de abril de 2007. “Com a implantação da sala, humanizamos a pediatria. Incentivar a leitura era o que faltava para quebrar o silêncio e colorir o hospital”, declara João Alberto Destro, administrador da Santa Casa.

Destro destaca ainda que o contato com os livros tem acelerado o processo de recuperação dos pequenos e diminuído o tempo de internação hospitalar. “Queremos essas crianças em casa, com a família, brincando, estudando. Presas no leito, elas sofrem com a ansiedade e estressadas recusam o medicamento. Tudo se torna dificultoso. Aproximando a criança do seu próprio mundo, conseguimos tranquilizá-la. Mais calma e solidária adere ao tratamento e se cura”, conclui.

Livros ajudam na recuperação
Outros profissionais da saúde e educadores também acreditam que esse contato com o livro e a leitura melhora o estado emocional dos pequenos pacientes e em muitos casos antecipa a alta médica. “Os livros dão força para a superação”, afirma Claudio Cesar Pimentel, coordenador do setor de educação e cultura do Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba, onde está localizada a Sala da Primeira Infância Ruth Rocha, inaugurada em 26 de junho de 2008.

Atendimento humanizado
Cada um dos hospitais utiliza o lúdico das salas de leitura no atendimento às crianças hospitalizadas. No Hospital do Câncer de Barretos, interior de São Paulo, não é diferente. O objetivo da Sala de Leitura Oswaldo Ribeiro de Mendonça, inaugurada em outubro de 2009, também é reabilitar os pequenos pacientes por meio de atividades lúdicas e pelo estímulo à leitura. Todas as instalações são adaptadas para atender às necessidades específicas do ambiente hospitalar como o carrinho palhaço, que pode ser levado para todo lugar, e pode ser colocado entre duas camas do hospital, para uma criança interagir com a outra através dele, lendo os livros, aprendendo com os fantoches e com os brinquedos educativos. “Como parte de um atendimento humanizado, permitimos através dessa iniciativa que a criança tenha acesso a uma vivência que não teria em casa: o acesso aos livros e a leitura,” conta a enfermeira Debora Campos, gerente da pediatria do HC de Barretos.

A brincadeira não é um mero passatempo. Ao contrário, todo ato de brincar e de envolver-se com o brinquedo traz para as crianças elementos simbólicos, que podem ser curativos. “As brincadeiras, artes plásticas, músicas e jogos trazem alegria a elas e também resgatam a condição de ser criança. Mesmo acamada o tempo inteiro, brincando elas se afastam da doença, sociabilizam-se com outras crianças e saem do isolamento que a internação provoca,” conclui Talita de Carvalho, psicóloga da pediatria do HC de Barretos.

envie este texto
para um amigo
versão para impressão